Enquadramento Territorial
Território - BIS

Com uma área de 3.738,3 Km², a Beira Interior Sul (BIS) é constituída por quatro concelhos - Castelo Branco, Idanha-a-Nova, Penamacor e Vila Velha de Ródão - e 45 freguesias. Este território é marcado por três factores de natureza eminentemente geográfica relevantes para a compreensão das dinâmicas sociais e económicas que aí se desenvolvem: a vastidão territorial, a interioridade e a proximidade da fronteira.

Estes factores fazem desta sub-região da BIS um território eminentemente rural. À exceção dos núcleos urbanos de Castelo Branco e Alcains e das sedes de concelho Idanha-a-Nova, Penamacor e Vila Velha de Ródão, com características urbanas, quer seja pelo número de habitantes, quer pelo conjunto de serviços oferecidos, as restantes 40 freguesias da BIS apresentam um perfil profundamente rural. Dos elementos que melhor as caracterizam, enquanto espaços físicos e sociais, são as baixas densidades populacionais, as fortes ligações ao campo e às atividades agrícolas, e um profundo envelhecimento da população. Em oposição, e enquanto eixo funcional do sistema urbano da Região, encontra-se a cidade de Castelo Branco exercendo uma forte polarização pela concentração de população (cerca de metade do total da BIS), serviços, equipamentos e emprego mas também pela presença de uma diversificada oferta de espaços culturais, que inegavelmente concorrem para a coesão social e para o incremento da sua capacidade de atração.

Trata-se, com efeito, de um território vasto e pouco povoado: dois dos concelhos que a integram, Castelo Branco e Idanha-a-Nova, contam-se entre os maiores do País (3ª e 4ª posição) e, no contexto da Região Centro, a Beira Interior Sul é a segunda maior sub-região em termos de área (13,2% do total). Esta vastidão territorial não encontra, contudo, correspondência com a população residente. Os seus 75 mil habitantes representam apenas 3,2% da população regional, o que se traduz em densidades populacionais muito baixas. À exceção da cidade Castelo Branco, onde reside quase de metade do total da população da BIS (35.242 dos 75028 indivíduos residentes na BIS), os restantes núcleos urbanos são de reduzidas dimensões (25 freguesias contabilizam menos de 500 habitantes, sendo que muitas delas são constituídas por várias localidades), muitos deles dispersos, em especial na zona raiana. São freguesias que têm conhecido, desde há largas décadas, uma profunda desvitalização demográfica, com consequências na composição etária da população e na respetiva capacidade de auto-regeneração. Estas dinâmicas demográficas resultam num crescente e exponencial envelhecimento da população.

Estas fragilidades demográficas e sociais fazem da BIS um território marcado por fortes assimetrias do desenvolvimento, nomeadamente em termos de distribuição do tecido produtivo, do emprego e de nível de rendimento e dos indicadores de bem-estar. De um lado o concelho de Castelo Branco, com níveis de desenvolvimento e coesão social a acompanhar os valores médios do País e, por outro lado, em oposição, os três concelhos de perfil rural - Idanha-a-Nova, Penamacor e Vila Velha de Ródão - marcados por fortes debilidades estruturais, espelhadas na grande fragilidade do conjunto de indicadores demográficos e socioeconómicos que colocam estes três concelhos no topo do ranking nacional: densidade populacional, índice de envelhecimento, índice de independência, taxa de atividade, taxa de emprego, taxa de analfabetismo.


ADRACES © 2017 - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por: citricweb.pt